A Associação "Trilhos d'Esplendor" com sede na Praia de Quiaios, Figueira da Foz, pretende fazer em caminhadas guiadas uma descrição fotográfica da Flora da Serra da Boa Viagem e das Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas. Também mostramos o uso fito-terapêutico desta Flora cujo valor na medicina tradicional é bem conhecido na população local. São todos convidados para descobrir a beleza florística desta terra. Visitem uma das regiões mais importantes de biodiversidade de Portugal!

Download of PDFs (2 Volumes - Eds. 2014):

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. I - Introdução - 371 pp.) (->Download)

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. II - Portugal - 1559 pp.) (-> Download)

(contains Web links to Flora-On for observed plant species, Web links to high resolution Google satellite-maps (JPG) of plant-hunting regions from the Iberian peninsula; illustrated text in Portuguese language)


Pesquisar neste blogue

Flora da Serra da Boa Viagem - Folha de Cálculo - > 500 Taxa - > 5000 Fotografias, Scans e Chaves

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited - última compilação

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited (Volume I - Portugal) Download PDFs (>300MB)

domingo, 30 de setembro de 2012

Flowers of South-West Europe revisited (I.2.2c - A Península Ibérica)

“Flowers of South-West Europe - a field guide” - de Oleg Polunin e B.E. Smythies
“Revisitas” de regiões  esquecidas no tempo - “Plant Hunting Regions” - a partir de uma obra de grande valor para o especialista e amador de botânica como da Natureza em geral.
Por
Horst Engels, Cecilia Sousa, Luísa Diniz, Nicole Engels, José Saraiva
da
Associação “Trilhos d’Esplendor”

I .2   Relevo, Geologia, Clima e Vegetação da Península Ibérica

1.2 Relevo, Geologia, Clima e Vegetação da Península Ibérica

1.2.2c Clima e Tempo - temperaturas

Polunin & Smythies  escrevem (p. 16-17):
Temperatures, like rainfall, show very wide ranges over our area, and very contrasting summer and winter averages. In summer, the south and south-east of Iberia have maximum temperatures, which correspond with the driest regions ofthe peninsula. The July maxima of Málaga and Jaén may be as high as 30°C (86°F) and 35°C (95°F) respectively, but the fall at night is very considerable. The highest average summer temperature is to be found in parts of Extremadura and Andalusia. The central plateau, despite its altitude, is extremely hot in summer, and has maxima of over 38°C (100°F), but again a great fall at night - seldom less than 10°C. By contrast, in the north and west, the influence of the ocean produces a much more equable temperature with lower summer maxima of 21- 27°C and a night drop of only 3-6°C. In winter conditions are in many respects reversed. The coastal regions show the highest temperatures, and from Galicia to the Ebro the winter average is over 8°C, with an average minimum temperature in the colder months of about 4°C. Consequently frosts are extremely rare for the whole of this coastline; it is only in the Basque provinces that they become more prevalent. The south coast of Spain and Portugal remains relatively warm throughout the winter with average winter temperatures of above woe (50°F). The central plateau by contrast has very much lower temperatures with the numbers of days of frost rising steadily from south to north, with Valladolid having up to 70 days of frost during some winters. In the region of Madrid the average minimum temperature of the coldest month (January) is 0°C while in Zaragoza the average winter minimum is as low as -7°C. It is here that one of the lowest temperatures of the península has been recorded, -16°C. In the main mountain ranges of the Iberian peninsula temperatures are much lower. On average there is a fall of about 1/2°'C for every 100 m rise in altitude, and in consequence in the highest mountains and above 2000 m there may be a reduction of 12-18°C, giving continuous temperatures below freezing for four to five months in the year. In the south-west of France, the warmest regions in the winter occur along the Atlantic and Mediterranean coasts, 'where the mean winter temperatures lie between 4-7°C. Moving inland to the Massif Central they fall to between 2-4°C. In summer the coolest regions lie along the Atlantic coast with the July mean at 21°C; further south and inland it increases to 24°C and more on the Mediterranean coast.
Como a pluviosidade, as temperaturas mostram uma amplitude muito grande na nossa área, e médias de verão e inverno são muito diferentes. No verão o sul e sul-este da Península Ibérica tem as temperaturas mais elevadas onde se encontram às áreas mais secas da península. Os máximos de Julho em Málaga  e Jaén  podem ser tão altas como 30ºC (86ºF) e 35ºC (95ºF) respectivé, mas as quedas durante da noite são consideráveis.
A temperatura média de verão mais alta da península encontra-se em partes da Estremadura  e Andaluzia . A Meseta Central , a pesar da sua altitude, é extremamente quente no verão e tem máximas acima de 38ºC (100ºF), mas também quedas acentuadas durante à noite - raras vezes menos do que 10ºC. Ao contrário, no norte e oeste a influencia do Atlântico produz uma temperatura bastante mais equilibrada com máximas baixas no verão de 21-27ºC e quedas de noite de apenas 3-6ºC.
Tabela dos climas da Península Ibérica (from “Polunin & Smythies”, 1973)
No inverno as condições estão reversas em muitos aspectos. As regiões costeiras mostram as temperaturas mais altas, e da Galiza  até ao rio Ebro  a média do inverno é acima de 8ºC com uma média de temperatura nos meses mais frios de cerca de 4ºC. Em consequência geadas são extremamente raras para toda linha costeira; apenas nas províncias basco tornam-se mais frequentes. A costa sul de Espanha e de Portugal mantém-se relativamente quente durante todo inverno com uma temperatura mádia de 10ºC (50ºF). A Meseta Central, ao contrário tem temperaturas bastante mais baixas com um número de dias com geadas, aumentando de sul para norte, com a província de Valladolid  tendo até 70 dias de geada em alguns anos.
Nas regiões de Madrid  a temperatura média do mês mais frio (Janeiro) é 0ºC enquanto em Zamora  o mínimo média é tão baixo como -7ºC. É nesta província onde uma da mais baixas temperaturas (-16ºC) da península foi registada.
Nas regiões montanhosas da Cordilheira Central as temperaturas são muito mais baixas. Na média a baixa de temperatura é 1/2ºC para cada 100m de aumento de altitude e em consequência nas montanhas mais altas acima de 2000m NN a redução de temperatura pode ser 12-18ºC resultando em temperaturas continuamente por baixo do congelamento (4ºC) ao longo de quatro ou cinco meses do ano.
No s ul-oeste da França as regiões mais quentes encontram-se ao longo das costas atlânticas e mediterrânicas onde as temperaturas médias do inverno são entre 4-7ºC. Virando por interior em direcção do Maciço Central,  elas baixam para entre 2-4ºC.
No verão as regiões mais frias encontram-se na costa atlântica  com a média de Julho com 21ºC; mais para sul e para o interior as temperaturas sobem para 24ºC e ainda mais na costa mediterrânica.
Temperaturas actuais à superfície (from “Polunin & Smythies”, 1973)
Veja à seguir: A Vegetação

Sem comentários:

Submitir informação sobre uma espécie de plantas

Seguidores