A Associação "Trilhos d'Esplendor" com sede na Praia de Quiaios, Figueira da Foz, pretende fazer em caminhadas guiadas uma descrição fotográfica da Flora da Serra da Boa Viagem e das Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas. Também mostramos o uso fito-terapêutico desta Flora cujo valor na medicina tradicional é bem conhecido na população local. São todos convidados para descobrir a beleza florística desta terra. Visitem uma das regiões mais importantes de biodiversidade de Portugal!

Download of PDFs (2 Volumes - Eds. 2014):

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. I - Introdução - 371 pp.) (->Download)

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. II - Portugal - 1559 pp.) (-> Download)

(contains Web links to Flora-On for observed plant species, Web links to high resolution Google satellite-maps (JPG) of plant-hunting regions from the Iberian peninsula; illustrated text in Portuguese language)


Pesquisar neste blogue

Flora da Serra da Boa Viagem - Folha de Cálculo - > 500 Taxa - > 5000 Fotografias, Scans e Chaves

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited - última compilação

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited (Volume I - Portugal) Download PDFs (>300MB)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Acacia longifolia

Acacia longifolia

Árvore pequena com 3-7 m, sem espinhos. Galhos com ângulos, glabros ou minimamente pilosos quando jovens. Folhas simples, 5-15 cm, lienar-lanceolada ou obovada; 2-3 veias longitudinais mais proeminentes. Inflorescência axilar em espiga com 2-4 cm, em menor quantidade do que as folhas. Flores amarelo brilhante. Fruto com 5-10 cm, mais ou menos cilíndrico, estreito entre as sementes, terminando com um bico curvo marrom. Sementes com um pequeno talo, arilo abundante, em forma de cápsula. Possui a capacidade de fixar nitrogênio através da simbiose com bactérias do gênero Rhizobium. É uma planta de curta longevidade.

Esta espécie encontra-se nas dunas arborizadas da Praia de Quiaios sendo uma espécie invasora que está em vias de destruição da flora autóctona desta zona. Ela também encontra-se em toda costa da Serra da Boaviagem, mas sobretudo na parte ocidental da serra que contém mais solos areníticos. Acima do Farol do Cabo Mondego, ela propagou-se tal maneira depois de um incendio florestal dos últimos anos que tem praticamente destruido a flora autóctona desta encosta. Ela domina agora 90% ou mais desta área.


  A vontade foi de certeza boa - mas infelizmente a Acacia longifolia continua a dominar a situação!


From Wikipedia:


Acacia longifolia is a species of Acacia native to southeastern Australia, from the extreme southeast of Queensland, eastern New South Wales, eastern and southern Victoria, and southeastern South Australia. Common names for it include Acacia Trinervis, Aroma Doble, Golden Wattle, Sallow Wattle and Sydney Golden Wattle. It is not listed as being a threatened species, and is considered invasive in Portugal and South Africa. It is a tree that grows very quickly reaching 7-10 m in five to six years.



Subspecies


There are two subspecies:

  • Acacia longifolia subsp. longifolia
  • Acacia longifolia subsp. sophorae (Labill.) Court


Uses

Acacia longifolia is widely cultivated in subtropical regions of the world. Its uses include prevention of soil erosion, food (flowers, seeds and seed pods), yellow dye (from the flowers), green dye (pods) and wood. The flower colour derives from the organic compound kaempferol. The tree's bark has limited use in tanning, primarily for sheepskin. It is useful for securing uninhabited sand in coastal areas, primarily where there are not too many hard frosts.


Phytochemistry

  • N-(2-imidazol-4-yl-ethyl)-trans-cinnamamide
  • N-(2-imidazol-4-yl-ethyl)-deca-trans-2, cis-4-dienamide



Registos de Acacia longifolia na Praia de Quiaios:

Acacia longifolia.kmz





Identificação:
Extraido de: "Coutinho - Flora de Portugal  (1939/2ed) "





Extraído de: O género "Acacia" na "Flora Iberica"


Controlo da espécie invasora:


Projecto Invader

O projecto INVADER “Avaliação da Recuperação de Ecossistemas Invadidos por Acacia. Metodologias para o seu Controlo” é um projecto de investigação científica [POCTI/BSE/42335/2001 FCT-MCES] coordenado pela Doutora Helena Freitas do Instituto do Mar (IMAR-CIC), Departamento de Botânica da Universidade de Coimbra, em parceria com a Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC) e com o Instituto da Conservação da Natureza (ICN). É um projecto financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (Ministério da Ciência e Ensino Superior), que teve início em Abril de 2002 e decorreu até Setembro de 2005.

Mais sobre o Projecto Invader pode ler no seguinte site: Naturlink

Projecto Invader II

Este projecto divide-se em 7 tarefas que têm como objectivo dar continuidade ao estudo dos processos de invasão biológica por Acacia longifolia, iniciado em 2002, no âmbito do projecto INVADER (POCTI/BSE/42335/2001). Dar-se-á especial ênfase a estudos relacionados com o controlo biológico, recorrendo ao agente Trichilogaster acaciaelongifoliae, metodologia algo inovadora no contexto do controlo das espécies invasoras em Portugal.


 Tarefas
     

tarefa 1. monitorização da recuperação de ecossistemas invadidos por A. longifolia a nível florístico e do solo

 

tarefa 2. testes de controlo biológico de A. longifolia

 

tarefa 3. padrões espaciais e temporais de dispersão de sementes, viabilidade e dinâmica do banco de sementes de A. longifolia

 

tarefa 4. feedback entre alterações do solo e a invasão por A. longifolia

 

tarefa 5. variabilidade genética nas populações de A. longifolia

 

tarefa 6. educação ambiental e sensibilização de públicos-alvo

 

tarefa 7. monitorização do agente de controlo biológico, após a libertação em meio natural







Algumas fotografias de Acacia longiafolia da Praia de Quiaios:









Invasão do pinhal e das dunas arborizadas por Acacia longifolia
Plantas jovens de Acacia longifolia no pinhal

Sem comentários:

Submitir informação sobre uma espécie de plantas

Seguidores