A Associação "Trilhos d'Esplendor" com sede na Praia de Quiaios, Figueira da Foz, pretende fazer em caminhadas guiadas uma descrição fotográfica da Flora da Serra da Boa Viagem e das Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas. Também mostramos o uso fito-terapêutico desta Flora cujo valor na medicina tradicional é bem conhecido na população local. São todos convidados para descobrir a beleza florística desta terra. Visitem uma das regiões mais importantes de biodiversidade de Portugal!

Download of PDFs (2 Volumes - Eds. 2014):

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. I - Introdução - 371 pp.) (->Download)

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. II - Portugal - 1559 pp.) (-> Download)

(contains Web links to Flora-On for observed plant species, Web links to high resolution Google satellite-maps (JPG) of plant-hunting regions from the Iberian peninsula; illustrated text in Portuguese language)


Pesquisar neste blogue

Flora da Serra da Boa Viagem - Folha de Cálculo - > 500 Taxa - > 5000 Fotografias, Scans e Chaves

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited - última compilação

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited (Volume I - Portugal) Download PDFs (>300MB)

sábado, 22 de novembro de 2008

Iris lusitanica

Iris lusitanica

Iris L. é um género de plantas com flor, muito apreciado pelas suas diversas espécies, que ostentam flores de cores muito vivas. São, vulgarmente, designadas como lírios, embora tal termo se aplique com mais propriedade a outro tipo de flor. É uma flor muito frequente em jardins. O termo íris é compartilhado, contudo, com outros géneros botânicos relacionados, da família Iridaceae. O termo pode ainda aplicar-se a uma subdivisão neste género.


Iris lusitanica, o lírio amarelo dos montes, também por vezes considerado uma subespécie de Iris xiphium, Iris xiphium lusitanica, tem a sua distribuição na Península Ibérica. Esta espécie encontra-se em Espanha e em Portugal em pradarias rochosas (habitat 6210 - representado na Serra da Boaviagem pelas pradarias de Brachypodium phoenicoides ( Correspondência fitosocciológica Brachypodion phoenicoidis (classe Festuco-Brometea) )- veja a contribuição sobre as pradarias da Serra da Boaviagem no blog "Caminhadas na Praia de Quiaios"). A espécie é extremanente rara neste local da Serra da Boaviagem e não deve ser coleccionada.




Localidades de presença da espécie na Serra da Boaviagem




Identificação da espécie Iris lusitanica no "Coutinho"





Hábitat de Iris lusitanica


Flor de Iris lusitanica





O fruto de Iris lusitanica - uma cápsula loculicida


Sementes de Iris lusitanica


Brachypodium phoenicoides

As pradarias da Serra da Boaviagem são caracterizadas pela presença da espécie Brachypodium phoenicoides ( Correspondência fitosocciológica Brachypodion phoenicoidis (classe Festuco-Brometea) ) e encontram-se nas partes com exposição para oeste e norte em terrenos com declives elevados, frequentemente com partes rochosos à vista, sobretudo nas partes mais altas das encostas. As pradarias estão expostas aos ventos marítimos e recebem humidade elevada devido à frequente formação de nebelinas. Encontram-se aqui orquídeas e outras espécies raras como Iris lusitanica, S. doronicum e Iberis procumbens. As pradarias das encostas da Serra da Boaviagem assemelham-se às pradarias das montanhas altas e são desta forma uma autêntica raridade e preciosidade na costa portuguesa.
Pradarias na Encosta da Serra da Boaviagem - A melhor altura para a observação das espécies de orquídeas em estado de floração são os mêses abril e maio.

Nas figuras são destacados em amarelo áreas na Encosta da Serra da Boaviagem com os prados secos. As áreas mais rochasas de tipo "prados rupícolas calcários ou basófilos"(habitat 6110 ), provavelmente importantes refúgios para os geófitos, também são bem visíveis nas fotografias (áreas acinzentadas - mas não à confundir com a exploração da CIMPOR na vertente do Cabo!). Os prados rupícolas formam frequentemente mosáicos com os prados secos (habitat 6210). As áreas de prados secos estão provavelmente numa fase transitória de arborazição, outras do tipo prados rupícolas podem estar num estado mais estável. Porém, não parece ser bem conhecido o processo da successão e evolução das pradarias na serra da Boaviagem.






Sem comentários:

Submitir informação sobre uma espécie de plantas

Seguidores