A Associação "Trilhos d'Esplendor" com sede na Praia de Quiaios, Figueira da Foz, pretende fazer em caminhadas guiadas uma descrição fotográfica da Flora da Serra da Boa Viagem e das Dunas de Mira, Gândara e Gafanhas. Também mostramos o uso fito-terapêutico desta Flora cujo valor na medicina tradicional é bem conhecido na população local. São todos convidados para descobrir a beleza florística desta terra. Visitem uma das regiões mais importantes de biodiversidade de Portugal!

Download of PDFs (2 Volumes - Eds. 2014):

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. I - Introdução - 371 pp.) (->Download)

"Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited" (Vol. II - Portugal - 1559 pp.) (-> Download)

(contains Web links to Flora-On for observed plant species, Web links to high resolution Google satellite-maps (JPG) of plant-hunting regions from the Iberian peninsula; illustrated text in Portuguese language)


Pesquisar neste blogue

Flora da Serra da Boa Viagem - Folha de Cálculo - > 500 Taxa - > 5000 Fotografias, Scans e Chaves

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited - última compilação

Polunin - Flowers of South-West Europe - revisited (Volume I - Portugal) Download PDFs (>300MB)

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Arundo donax e Arundo plinii

Arundo donax e Arundo plinii


Arundo donax



Descrição  (from Wikipédia) :


Arundo donax


Cana-do-reino, Cana ou Cana-da-Índia (Arundo donax) é uma alta planta perene da família das Poaceae (=Gramineae), nativa das águas frescas do Mediterrâneo.

Cresce por volta dos 4 m a 6 m, raramente passando dos 10 m, com ramos ocos de 2 a 3 cm de diâmetro. As folhas variam entre os 30 a 60 cm de comprimento e entre 2 a 6 cm de largura, de tonalidade verde-acizentado, cujas bases apresentam tufos.

Sua flor brota no verão tardio, nas seções elevadas da planta, com 40 a 60 cm de comprimento, e cujas sementes raramente são férteis. Por outro lado, essa planta reproduz-se por meio de rizomas subterrâneos. Os rizomas são rijos e fibrosos, aparentando nós, a dispersando-se pelo solo a até 1m de profundidade, compondo uma rígida base à cana-do-reino. Acredita-se que seja uma evolução a adequar-se às enchentes freqüentes das regiões onde cresce, as quais poderiam enfraquecer e arrancar a planta.

Sua alta taxa de crescimento (5 cm por dia na primavera) requer grandes quantidades de água, disputando cada centímetro de solo com outras espécies vegetais locais.


Cultivo e usos


A cana-do-reino tem sido cultivada pela Ásia (especialmente os Orientes Próximo e Médio), sul da Europa e norte da África por milênios. Os antigos egípcios envolviam seus mortos com as folhas dessa planta, ao passo que sua cana (a qual contém silício) tem sido usada na fabricação de varas-de-pescar, bengalas e papel.

Além disso, sua cana é ao mesmo tempo flexível e forte o bastante para ser usada como palheta para instrumentos de sopro como o oboé, clarinete, saxofone e gaita-de-fole; tal uso é constatado em flautas de mais de 5 000 anos. Para além de objetos como bengalas e varas-de-pesca, o característico crescimento rápido da cana-do-reino sugere que seja uma ótima opção para a produção de biomassa e celulose para papel.


Uma espécie invasora


A cana-do-reino foi introduzida na Califórnia na década de 1820 a fim de fornecer matéria-prima para telhados e controle de erosão por meio da drenagem de canais na área de Los Angeles. Tornou-se popular como planta ornamental e passou a ser cultivada também para a produção de palhetas musicais. A omissão em seu controle e o clima costeiro quente do oeste estadunidense, a tornaram uma espécie invasora de rápida proliferação, ampliando sua área ainda nos dias de hoje. Também passou a ser cultivada na América do Sul e Australásia.



Arundo plinii

Extratos de: AVINOAM DANIN
Arundo (Gramineae) in the Mediterranean reconsidered


"Morphological and ecological characterization of the taxa recognized Arundo plinii Turra, Farsetia: 11. 1765 ≡ Arundo donax subsp. plinii (Turra) Mateo & R. Figuerola Lamata, Fl. Analit. Prov. Valencia [IAM. Investig. 14]: 368. 1987. – Original herbarium at Museo Civico Vicenza destroyed, but some material, e.g., at LINN (fide Stafleu & Cowan 1986). Turra, in the protologue, gives “in Hetruriae atque Bononiae fluviis” and [in his Fl. Ital. Prodr.: 63. 1780, in synonymy] “rheni bononiensis” as the occurrence of the species. “Hetruria” is Tuscany (Toscana), “Bononia” is Bologna, Rhenus bononiensis thus the Reno river of Bologna (Bertoloni 1833). Since extant original material is unknown, I went for the “locus classicus” and visited the Reno river in Bologna on 27.7.2004. There I found, indeed, apart from Phragmites australis and Arundo donax, populations of an Arundo with upright leaves, which may thus be safe to identify with A. plinii (Fig. 1A). The plant is basically riparian. Patches of dense vertical culms carrying distichous narrow upright (not nodding) leaves, each terminating in a single panicle, constitute 3-10 m long and 1-3 m wide rhizomatous patches. No last-year's stems were present in the patches I observed. A few further patches occurred also on the gentle slope 1-4 m above the present river level. The above-ground parts, 1-2 m tall, are apparently renewed every year and the culms do not regularly branch. Extensive rhizomes growth makes the patches rather continuous along rivers. The leaves are easily distinguishable from those of the sympatric Phragmites australis by their green colour as compared with the bluish colour of the latter (due to a thin wax layer above the epidermis of P. australis). I could distinguish three belts of reeds on the opposite river bank, Phragmites australis growing closest to the river, Arundo plinii forming a belt above it, and A. donax forming the highest belt."


The inflorescence and spikelet characters

The morphology of the lemma was considered by Danin & al. (2002) an important character to differentiate the taxa in Arundo, trusting, e.g., on the keen observers Maire & Weiller (1953) and Conert (1961), who mention for A. plinii of the Mediterranean a bifid lemma apex and do not have seen an entire lemma apex as in A. hellenica, the synonym of the earlier A. collina. After studying many specimens of the whole genus I came to the conclusion that only A. donax has a clearly bifid lemma apex, the pair of teeth being 1-2 mm long; A. plinii, as understood by the present author, has such a pair of teeth of only 0.1-0.3(-0.8) mm length, which is thus hard to see and in many cases looks as an artefact, but is a good diagnostic character. A. collina and A. mediterranea, in contrast, have an entire lemma apex. Otherwise the inflorescences of the four species do not provide diagnostic characters for their distinction. The long culms of the species, which are hard to press and preserve in herbaria, and the very similar inflorescences caused the taxonomic confusion. Disregard for the underground and basal plant parts, the general habit, the shape of populations and habitats of the taxa, and exclusive focus on the similar inflorescences are the reason for that good species like A. mauritanica and A. collina having been sunk into synonymy...



Locais de registo de Arundo na Praia de Quiaios e na Serra da Boaviagem:

Arundo encontra-se em zonas de cultivo e Depressões intradunares e outros terrenos com humidade. A maioria dos exemplares encontrados atribuiram-se à espécie Arundo donax. No entanto, algumas fotografias podiam indicar também a presença de Arundo plinii como também indicadado no mapa da distribuição na Flora Digital de Portugal.



Identificação:












Distribuição de Arundo em Portugal




Flora Digital de Portugal



Utilização medicinal e fitoterapéutica:



Alguma fotografias da Praia de Quiaios:





























Links e Bibliografia:

Anatomia

 - 14:01
Maria Leopoldina Rosa & Carlos M. G. Reis ..... Rosa, L; Moreira, I & Monteiro, R. (1985) Atlas de Anatomia Vegetal. Escola Superior Agrária de Castelo ...
docentes.esa.ipcb.pt/lab.../Anatomia.html - Em cache - Semelhante

Arundo - Wikipédia, a enciclopédia livre

Arundo brevipilis Torr. Arundo coarctata Torr. Arundo donax L. Arundo phragmites L. Arundo pliniana Turra; Arundo tecta Walter; PPP-Index Lista de espécies ...
pt.wikipedia.org/wiki/Arundo - Em cache - Semelhante


[PDF]

Arundo (Gramineae) in the Mediterranean reconsidered

 - [ Traduzir esta página ]
Formato do ficheiro: PDF/Adobe Acrobat - Visualização rápida
de A DANIN - 2004 - Citado por 2 - Artigos relacionados - Todas as 9 versões
consideration of Arundo in the present paper is thus deliberately preliminary. I wish to present my findings in the group of taxa related to Arundo plinii, ...
www.bgbm.org/willdenowia/w-pdf/w34-2Danin.pdf - Semelhante


Arundo - SOPHY

 - 12:00 - [ Traduzir esta página ]
Arundo Arundo communis. Phragmites australis (Cav.) Steud. Roseau, Roseau à balais, Roseau commun, Canne à balais. Arundo donax. Arundo donax L. ...
sophy.u-3mrs.fr/photohtm/FI94.HTM - Em cache - Semelhante -



Arundo donax - Wikipedia, the free encyclopedia

 - 11:49 - [ Traduzir esta página ]
Arundo donax L. (Giant Cane) is a tall perennial cane growing in damp soils, either fresh or moderately saline. Other common names include Carrizo, ...
en.wikipedia.org/wiki/Arundo_donax - Em cache - Semelhante


Gramíneas » Herbário da Universidade de Coimbra » Universidade de ...

A morfologia típica de uma gramínea é muito semelhante em todas as espécies: um caule geralmente oco, com nós engrossados, no qual se inserem as folhas com ...
www.sri.uc.pt/herbario_digital/Flora_PT/.../gramineas/ -


Morfologia

 - 13:59
MORFOLOGIA FLORAL - ANGIOSPÉRMICAS. Carlos M. G. Reis .... Hipanto: termo utilizado para designar um receptáculo floral tubuloso que afasta os outros ...
docentes.esa.ipcb.pt/lab.../morfologia.html - Em cache - Semelhante


RBG Kew: GrassBase - Arundo donax Description

 - [ Traduzir esta página ]
Copyright The Board of Trustees, Royal Botanic Gardens, Kew. Arundo donax. HABIT Perennial. Rhizomes elongated. Culms erect; reed-like; 200–600 cm long. ...
www.kew.org/data/grasses-db/www/imp01043.htm

RBG Kew: GrassBase - Arundo plinii Description

 - 12:33 - [ Traduzir esta página ]
Arundo plinii. HABIT Perennial. Rhizomes elongated. Culms erect; reed-like; 100–200 cm long. Culm-internodes thin-walled. Lateral branches lacking. ...
www.kew.org/data/grasses-db/.../imp01045.htm - Em cache - Semelhante




[PDF]

PLANTAS INVASORAS EM PORTUGAL Poaceae (=Gramineae)

 - 16 Fev
Formato do ficheiro: PDF/Adobe Acrobat
Global Invasive Species Database - Arundo donax. disponível: ... Giant reed - Arundo donax. in Plant Conservation Alliance's Alien Plant Working Group. ...
www1.ci.uc.pt/invasoras/files/26cana.pdf - Semelhante


Poaceae - Wikipédia, a enciclopédia livre

[editar] Gêneros. Índice com os géneros da família Poaceae segundo o sistema APG II: ... O Wikiquote tem uma coleção de citações de ou sobre: Poaceae. ...
pt.wikipedia.org/wiki/Poaceae - Em cache - Semelhante


Sem comentários:

Submitir informação sobre uma espécie de plantas

Seguidores